Sobre o Prêmio

Foto Paulo MourãoEm 1995, quando participava da diretoria da Sociedade Brasileira de Bioquímica (SBBq), criamos o Prêmio Jovem Talento em Ciências da Vida. Já se vão vinte anos! Nesse período tenho acompanhado o sucesso da carreira científica de muitos laureados, que se manifesta em posições acadêmicas importantes, publicações em revistas científicas de destaque e, inclusive, em premiações internacionais. Outras sociedades científicas brasileiras também implementaram premiações semelhantes, seguindo o modelo da SBBq.

Certamente a participação nesses processos seletivos estimula a competição e valoriza a competência da pesquisa científica. Os jovens pesquisadores precisam aprender, desde a graduação, que a atividade científica requer dedicação e empenho pessoal para a realização de um trabalho original, inovador e de alta qualificação. É preciso que os estudantes se habituem ao rigoroso processo competitivo da ciência.

Essa perspectiva, que nos norteou a estabelecer o Prêmio, precisa ser disseminada em nossas instituições acadêmicas visando o estímulo, o reconhecimento e a valorização das competências. Esse prumo alinha-se na produção de alta qualidade e competitividade internacional, o norteador da pesquisa científica.

Sinceramente, desejo que esse Prêmio continue nas próximas décadas a estimular e a valorizar os jovens pesquisadores que vão se destacar na ciência brasileira e latino-americana. Uma iniciativa modesta, mas de grande valor simbólico, que deveria ser assimilada pelas universidades.

Paulo Antonio de Souza Mourão
Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro

 

Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular   GE Healthcare