A SBBq foi fundada em 1967 por iniciativa de lideranças científicas da área de bioquímica. A idéia inicial era criar um espaço e organizar encontros em local e período determinados, para que os pesquisadores pudessem trocar experiências e transmitir os resultados de seus trabalhos.

Esses encontros, sempre realizados em São Paulo, eram chamados de Seminários de Bioquímica, com conferências e debates, que incluíam desde a parte científica até a política e organização da sociedade.

Em 1970 foi realizada uma reunião conjunta com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC, em Salvador, Bahia. A Diretoria eleita para esse período decidiu então realizar as suas reuniões em Caxambu, por ser esta uma cidade aproximadamente eqüidistante do triângulo, que então produzia 90% da bioquímica brasileira: Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo.

O I Encontro de Bioquímica, realizado em Caxambu, foi em 1972. Nessa época estavam presentes poucos pesquisadores, alguns convidados e cerca de um aluno por docente. Foram organizadas conferências plenárias e apresentações orais de cartazes. Os alunos de pós-graduação apresentavam os resumos de suas teses defendidas naquele ano.

Em 1975, o evento começou a ser chamado de Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Bioquímica, a partir daí, os Encontros foram crescendo numa proporção jamais imaginada pelos primeiros sócios fundadores da Sociedade, tanto em número como em qualidade de trabalhos apresentados.

Na XVII Reunião Anual, realizada em 1988, a Assembléia Geral Ordinária, referendou a mudança do nome da Sociedade para Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular.

A SBBq teve um papel decisivo no crescimento e amadurecimento da bioquímica brasileira, durante os seus trinta e três anos de existência, propondo planos e ações que contribuíram para a formulação de políticas nacionais, para educação e para o desenvolvimento científico-tecnológico, principalmente nos aspectos mais relacionados a sua área específica de atuação.

A SBBq mantém atividade anual regular com recursos advindos das contribuições dos seus sócios, promovendo contatos nacionais e internacionais com Sociedades congêneres, forma parte da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FESBE), mantém informação atualizada sobre centros de produção de conhecimento e tecnologia na área, participa da política científica nacional e serve como veículo de contato e informação qualificada com a sociedade brasileira.

Atualmente, a SBBq conta com a participação de 591 Membros Ordinários ativos na Sociedade, dentre os quais se encontram alguns dos mais importantes cientistas brasileiros, atuando nas diversas áreas da Bioquímica e Biologia Molecular e, com 676 Membros Associados, que são na grande maioria estudantes de Pós-Graduação.

A Reunião

A Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia Molecular (SBBq) é, atualmente, um dos mais tradicionais eventos dentro da comunidade científica brasileira.

Ao longo de três décadas, essas reuniões têm sido cenário e foro de debates sobre o avanço do conhecimento fundamental dos fenômenos bioquímicos, suas aplicações para o bem social e sobre a confluência desse conhecimento com outras áreas das ciências físico-químicas e biológicas.

As Reuniões vêm sendo organizadas seguindo uma estratégia cujo objetivo central é duplo, por uma parte oferecer oportunidade para apresentar e discutir os temas predominantes de pesquisa dos bioquímicos brasileiros e suas perspectivas futuras, e, por outra, centralizar em alguns eixos principais o foco da reunião anual.

Essa estratégia tem sido bem sucedida e consegue os objetivos de manter a visibilidade da produção dos cientistas brasileiros e, ao mesmo tempo, analisar em profundidade e extensão alguns temas de fronteira que mudam parcialmente ano a ano.

Uma característica que merece especial destaque é que a programação dos temas da reunião, através de conferências, simpósios, mesas redondas ou apresentações individuais é, inteiramente, o produto da iniciativa de seus membros ordinários, coordenadas pelo comitê científico.

A participação de sócios, pesquisadores e estudantes de pós-graduação e iniciação científica pode ser estimada pelo gráfico abaixo:

O crescimento observado dos cartazes apresentados entre 1991 e 1994 resultou do esforço da SBBq em atrair áreas afins que incorporaram, ou devem incorporar, a metodologia e a forma de pensar da Bioquímica e Biologia Molecular.

Esta transferência de tecnologia e linguagem a áreas correlatas de importância científica e tecnológica faz parte da política de inserção nacional mantida pela SBBq. Este tipo de crescimento é desejável e deve continuar a ser incentivado.

Por outro lado, a fim de garantir a qualidade da reunião e evitar o seu crescimento excessivo e os problemas daí resultantes, a SBBq aumentou o rigor na seleção de comunicações a serem apresentadas na forma de cartazes e limita a apresentação de resumos.
Atualmente cada participante inscrito tem direito a apresentação de um único resumo. Os alunos de pós-graduação e iniciação científica têm que estar vinculados a um membro ordinário ativo da Sociedade e inscrito na Reunião.

O Membro Ordinário Ativo é aquele que participa das reuniões pelo menos 1 vez a cada três anos. Isso garante um quorum mínimo de membros ordinários, possibilitando a interação dos estudantes com cientistas de grande expressão nacional e internacional.